TESTEMUNHOS

Confirme a opinião dos nossos formandos, já certificados, sobre as vantagens da formação:  

"Excelente. Sinto que a formação fará de mim um profissional mais completo e com melhores ferramentas para melhorar os processos dentro da minha empresa. Dos pontos fortes enumero toda a interação com o formador e a partilha de experiências profissionais.” Jorge Sousa, WIT Software


“Formação de bastante interesse profissional, uma nova abordagem à gestão e relação entre os elementos da equipa. Considero como pontos fortes o formador e os conteúdos dados no curso” António Silva, CGD – Caixa Gestão de Ativos


“Formação dada por formador bastante experiente, em que os conteúdos são muito atuais para os profissionais que desempenham papéis, de todos os níveis, desde gestão à programação.” Rui Oliveira, PT Inovação


“A qualidade do formador justifica plenamente o investimento. A qualidade do formador e a maneira de transmitir os conhecimentos não podiam ter sido melhores.” Tiago Pina, WIT Software

 

Recomendo esta formação pois, apresenta de forma bastante clara todos os processos e intervenientes do Scrum. A intervenção dos formandos, a cumplicidade estabelecida com o formador e os conceitos apresentados, superaram as expetativas.” Nuno Rodrigues, Milénio 3 Sistemas Eletrónicos, S.A.


“Considero como pontos fortes da ação de formação a curta duração do curso e a participação dos formandos. Recomendo este curso pois dá uma boa overview sobre o Scrum.” Ricardo Ferreira, Claranet


“Recomendo esta formação pois, a qualidade do formador, justifica plenamente o investimento. A maneira de transmitir os conhecimentos não podia ter sido melhor.” Tiago Pina, WIT Software


“O formador é extremamente bom comunicador. O local da formação é um dos pontos fortes que tenho a enumerar bem como a dinâmica do grupo e empenho na formação. Recomendo esta formação pois é uma experiência enriquecedora para quem tenha cargos de gestão. É necessário ter uma perspetiva global dos processos, para que o Scrum Master saiba o seu papel na utilização da sua responsabilidade, sabendo o que pode exigir aos outros intervenientes.” João Lourenço, ISA